O editor de textos Vim

O vim é um editor de textos inacreditável. Inacreditável mesmo. Quando ouvi que era preciso pressionar Esc e em seguida digitar ":q!" e pressionar Enter só pra fechar o documento eu não acreditei. Que maluquice! Quem então acreditaria que pouco depois eu estaria aqui escrevendo que esse aplicativo é um dos melhores softwares que já experimentei?

Vale a pena dar uma chance ao vim.

Não pense que será amor à primeira vista. Os termos "amigável" e "fácil de usar" já há bastante tempo querem dizer "não é necessário nenhum aprendizado". O vim não é assim. Na verdade, ele é o contrário disso. Quanto mais você o utiliza, melhor ele fica. No início vai parecer que apertar "u" para desfazer é mais difícil do que o tradicional "Ctrl+z", algum tempo depois você vai estar gravando e utilizando macros em questão de segundos.

O vim trabalha com a ideia de separar em dois modos os comandos do aplicativo e a inserção de texto.

Na prática, se você estiver no modo de inserção, poderá digitar o que quiser normalmente, de modo que o vim se parecerá bastante com outros editores de texto.

Já no modo de comando, cada tecla se transforma em um atalho para um comando e, assim, "u" se torna "desfazer", "/" se torna "pesquisar" e "." se torna "repetir", por exemplo.

O padrão do vim é o modo de comando, de modo que é preciso entrar no modo de inserção, usando a tecla "i", para poder digitar alguma coisa.

É muito menos complicado do que parece e depois que você pegar o jeito vai desejar que seu IDE tivesse os mesmos recursos.

Os artigos abaixo devem te guiar em um aprendizado desse fascinante editor.

  1. O mínimo que você precisa saber para usar o vim
  2. Para que serve um editor que não sabe autocompletar?
  3. Incluir um relógio no ruler do vim
  4. Substituir palavra entre aspas
  5. Usando o ponto para refazer
comments powered by Disqus