NdVO.blog.br

Ciências Sociais

Sobre a natureza humana

Uma forma interessante de compreender o pensamento de um autor é analisar o que é para ele a natureza humana. É um exercício intelectual que nos permite aprofundar nossa compreensão de uma certa teoria e encontrar com maior facilidade os pontos de concordância e discordância entre os vários pensadores.

Vemos em Karl Marx, por exemplo, o ser humano como um protótipo de um ser admirável, mas sujeito a condicionantes externos que o diminuem e limitam. Vemos em Durkheim o ser humano como um animal bruto que é polido e elevado pela sociedade. Nestes dois artigos exploro a visão que têm estes autores sobre o que, em essência, é o homem.

Sociologia e Direito

A sociologia nasceu uma ciência ambiciosa. Petulante até. Sociólogos ainda hoje menosprezam praticamente tudo o que tenha sido construído no âmbito de outras disciplinas muito bem reputadas que claramente tratam de assuntos sobrepostos aos temas de que tratam os sociólogos. Este é o caso dos juristas. Cursos de sociologia sequer tem uma disciplina de introdução ao Direito, não discutem teorias da justiça ou da moral. Estão quase convictos de que não há entre os juristas qualquer corpo teórico que pudesse interessar ao sociólogo.

Minha visão é muito diversa. Apesar de que grande parte do estudo jurídico é técnico e trata de construir uma compreensão tão sistemática quanto possível das normas jurídicas em vigor, as teorias do direito devem ser levadas a sério por quem pretende compreender a sociedade.

Diferente do que pensa a maior parte dos juristas e quase todos os sociólogos, Hans Kelsen desenvolveu uma teoria sistemática sobre o Direito que coloca desafios importantes para o pensamento sociológico, notadamente a impossibilidade de uma definição sociológica de uma ordem social.

Os artigos a seguir discutem o pensamento de Hans Kelsen a partir da perspectiva da teoria social.

Metodologia e epistemologia